segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Um Lugar Abençoado para Realizar um Sonho

Assim como minha mãe, sempre sonhei em me casar na Igreja Boa Morte, uma das mais antigas de Limeira, construída por escravos, toda em barro seguindo o estilo barroco da época. Porém, assim como minha mãe, quando decidi me casar a igreja estava interditada para restauração. Há uns 38 anos tentam recuperar a linda igrejinha.

Então decidi me casar na Igreja São Cristóvão, que freqüentava semanalmente e onde meu noivo havia sido batizado, feito primeira comunhão e crismado, ou seja, onde ele tinha uma história.

Já havia percebido que nunca ocorriam casamentos naquela igreja e descobri o porquê no dia em que fomos falar com o padre para marcar a data. Primeiro o padre disse que era muito cedo (faltava menos de um ano para a data que queríamos), mas que mesmo assim iria deixar agendado, depois perguntou se eu sabia que não poderia enfeitar a igreja com flores (eu já sabia, mas havia aceitado o fato com muita tristeza), então perguntei se haveria alguma restrição quanto aos músicos, pois meses antes já havia contratado o Coral Santa Cecília para cantar na cerimônia e era a única coisa da qual fazia muita questão.

Foi aí que meu mundo caiu, o padre disse que “era muita coisa para um casamentinho” e que tinha uma senhora da comunidade que tocava teclado muito bem e que cobrava baratinho. Meus olhos se encheram de lágrimas e meu coração disparou, mas consegui disfarçar e saí da sala do padre o mais rápido que pude. Entrei no carro e disse aos prantos para meu noivo que ali eu não me casaria.

Nunca imaginei ouvir da boca de um servo de Deus, que minha união com o homem da minha vida seria um simples “casamentinho”. Afinal a Igreja Católica prega tanto a importância do sacramento do matrimônio, que fiquei indignada quando o padre que eu admirava desvalorizou tanto meu casamento.

Naquela mesma manhã, fomos até a Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo, paróquia da qual eu pertencia e perguntamos o que era necessário para realizar nosso casamento ali. A secretária perguntou qual a data que queríamos e quando dissemos 11/12/2009 ela ficou espantada, olhava de meu noivo para mim e de mim para a agendinha que segurava nas mãos. A simpática mocinha disse que era a última data disponível para dezembro daquele ano e que tivemos muita sorte.

Fachada da Igreja Matriz de São Paulo Apóstolo.

Acredito que tenha sido uma benção de Deus, pois conseguimos marcar nosso casamento para a data que queríamos, numa igreja linda com uma arquitetura bem moderna (tem a representação de um sol estilizado que começa no altar e se estende pelo teto da igreja), e sem restrições malucas por parte do padre. E o mais interessante é que depois, acabamos comprando nossa casinha na mesma rua da igreja, e agora fazemos parte da mesma comunidade na qual assumimos nossos votos de matrimônio.

O maravilhoso "Sol" que espalha sua luz pelo teto da Igreja.

Enfim, depois de tudo isso, nunca mais apareci na outra igreja e tenho certeza de que meu “casamentinho” foi infinitamente mais bonito sendo realizado pelo Padre Alex e sobre a benção de São Paulo Apóstolo.

Noiva contentíssima ouvindo seu tão sonhado coral.


E com o fantástico Coral Santa Cecília emocionando meus convidados ao cantar Ave Maria nos seus Andores.

Belíssimo Coral Santa Cecília.

2 comentários:

Tatiane Freitas disse...

Eu A-DO-REI a igreja é linda de viver !

CN disse...

Olá! Parabéns pelo seu casamento, ficou lindo!
Ah, tem um selinho pra você lá no meu blog!!