quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Bebês e Cães – Futura Amizade para Toda uma Vida

Que o Ricardo e eu adoramos cachorro todo mundo sabe. Que temos a Saori como membro da família não é surpresa para ninguém. Mas devo admitir que fiquei meio chocada quando algumas pessoas perguntaram o que faríamos com o pastor alemão agora que teríamos um bebê.

Quero tirar uma foto assim, com a Saori "cuidando" do bebê.

Como assim o que vamos fazer? Vai continuar tudo como era antes, na verdade tudo vai ficar ainda melhor.

Sei que a chegada de um bebê modifica bastante a rotina da casa e que pode trazer algum tipo de stress para o cão, mas nada que não possa ser superado com paciência e treino.


Sempre me revoltei com histórias de donos que doam ou abandonam seus cães quando resolvem ter um bebê, alegando que não tem mais tempo para cuidar, que não tem espaço suficiente ou que o cachorro é muito bravo para conviver com uma criança. Morro de vontade de perguntar se, quando vier o segundo filho, eles vão doar ou abandonar o primeiro como fizeram com o cão? O que este tipo de pessoa deveria tentar lembrar é que não foi o cão que a escolheu (salvo alguns casos raros), mas sim a pessoa que foi lá buscá-lo, seja em um criador ou em um abrigo, e que a partir deste momento o animal passou a ter o dono como centro de seu universo. Foi ela que escolheu ter um cachorro e que esta escolha é para toda a vida, afinal a vida de um mascote dura tão pouco que devemos aproveitar todos os momentos dela.


Para facilitar a introdução do novo membro da família ao animal de estimação seguem algumas dicas da treinadora Sheila Niski para o site Web Animal:

- Em primeiro lugar o mais importante – não mude a rotina do cachorro por causa do bebê – se for mudar alguma coisa, mude antes do nascimento. Cachorro adora rotina, ou seja, se desde que ele chegou em casa, até seu último dia, ele fizer em todos os horários a mesma coisa, ele ficará sempre feliz. Então, se optou por quando o bebê nascer não deixar o cachorro entrar na sala, comece desde já. Se ele vai ser alimentado de maneira diferente, comece já. Resumindo: Nada deve mudar na vida dele por causa do novo ser. É o primeiro passo para produzir uma grande amizade entre eles.


- Faça com que a casa pareça que já tem um bebê, assim o cachorro não vai estranhar tanto. Deixe um carrinho na sala, e não brigue com o cão quando ele for cheirar, ao contrário, quando ele se comportar bem ao lado do carrinho, ofereça petiscos para ele. Ande pela casa com uma boneca nos braços, e acostume ele a não pular nessa situação, virando-se de costas para ele, mas desvirando e se abaixando para ele cheirar o "bebê" quando ele estiver no chão comportando-se corretamente.

- Quando o bebê nascer peça para alguém levar o cobertorzinho da primeira noite para o cachorro ir se familiarizando com cheiro do bebê, deixe-o cheirar e recompense-o com carinho, para que associe coisas boas ao cheiro.

- Quando o bebê chegar em casa, a mãe não deve estar carregando o bebê. Lembre-se, ela passou pelo menos uns três dias longe do cachorro, que deve estar morrendo de saudades, se o coitado tiver que esperar muito para receber atenção ficará enciumado com o novo "brinquedo" que ela esta carregando. A mãe deve deixar uma terceira pessoa carregar o bebê e ir fazer a festa com o cachorro. Quando ele estiver mais calmo, aí sim, deve trazer o bebê e deixar o animal cheirar o pé, ele vai associar o cheiro com o do cobertor e esperar por um agrado.


- Mantenha uma tigela com biscoitos caninos perto da porta (onde o cão não alcance), assim os convidados que aparecerem para visitar bebê podem oferecer um agrado ao cão da família antes de entrar para conhecer a criança.

- Nunca brigue com o cachorro na frente do bebê. Deixe-o achar que o bebê é o seu "porto seguro". Inclusive, lembre-se de deixar petiscos na parte de baixo do carrinho, como se fosse presente da criança para o amigão de quatro patas.

- Na presença da criança, sempre procure dar petiscos, carinho e atenção ao cão. Em pouco tempo, ele perceberá que essa proximidade significa coisas legais. Em vez de ficar enciumado, se entreterá com as guloseimas ou com o que de bom acontecer e passará a gostar de ter o bebê por perto.


- Quando começarem os passeios do bebê, as famosas caminhadas em família pela vizinhança, deixe o cachorro fazer parte dessa aventura. Dessa maneira ele terá certeza que o bebê é o novo membro bem-vindo na matilha.

- Se pensa que o animal de estimação é uma ameaça à saúde da mamãe ou do bebê, converse com o veterinário. Ao contrário que as pessoas imaginam a convivência com animais de estimação em nada compromete esse período tão especial da vida da família, desde que o animal esteja vacinado, vermifugado e tenha assistência veterinária. A tão famosa "alergia a bichos" não tem a ver exatamente com o pelo, mas sim com o ácaro, encontrado em vários lugares além da pele do cão, como sofás e colchões.

- Curta muito a gestação, o bebê e todos seus momentos, porque eles crescem rápido demais. E daqui a pouco tempo, a família toda poderá curtir a emoção de ver seus dois amores - filho e cachorro - brincando juntos e alegres.




Um comentário:

AGUEDA PRADA disse...

Lindo post e ótimas dicas, tenho uma lhasa apso, e já li muito sobre essa interação do bebê com o cachorro quero que os dois cresçam juntos.
Beijo